Por que é importante entender a imunidade na endometriose?

A endometriose é uma doença multifatorial com mecanismos patogênicos desconhecidos e obscuros. Um artigo de revisão, elaborado por Chopyak e colaboradores, levantou pontos importantes sobre os mecanismos de imunidade envolvidos na endometriose.

Este artigo foi publicado em 2022 no Central European Journal of Immunology.

As alterações nas funções das células imunológicas possuem um papel muito importante no desenvolvimento da doença. Mudanças locais e sistêmicas são observadas nas células tanto da resposta imune inata, quanto humoral. O fluido peritoneal é rico em células inflamatórias, conhecidas como macrófagos. Essas células, no decorrer da doença participam do processo inflamatório, gerando danos teciduais e disfunções imunológicas.

A compreensão do perfil imunológico relacionado com a doença é um indicador de como devemos tratar a paciente.

Percebe-se, também, que algumas moléculas e substâncias inflamatórias (citocinas) são expressas na doença, acarretando o dano tecidual. Ocorre também o aumento de uma proteína envolvida com o processo de vascularização.

Também se verificou que há uma alteração nas células da imunidade adaptativa (células T CD8 e T CD4), com níveis diminuídos. Em contrapartida, há um aumento de células B. Alguns estudos demonstram o envolvimento dos receptores do tipo Toll (toll-like receptors).

Além da resistência à progesterona, as pacientes apresentam uma deficiência no metabolismo de estrogênio. Isso causa a proliferação e inflamação dos tecidos do endométrio fora do útero.

Diversas pesquisas tentam descobrir uma possível alteração genética, que explique o surgimento da doença em algumas mulheres, mas ainda nada foi concretizado.

Os autores comentam a possibilidade de a endometriose ser uma doença autoimune. Isso, devido ao aumento de anticorpos e mutações em genes relacionados à autoimunidade em algumas pacientes.

Como conclusão, acreditam na necessidade de estudar o processo inflamatório no peritônio em conjunto com a resposta imune inata. Acreditam, que no futuro, poderá ajudar a descobrir tratamentos imunomoduladores, com o intuito de conseguir uma melhor qualidade de vida.

Artigo escrito por Lavínia Romera.


Referência: Chopyak VV, Koval HD, Havrylyuk AM, Lishchuk-Yakymovych KA, Potomkina HA, Kurpisz MK. Immunopathogenesis of endometriosis - a novel look at an old problem. Cent Eur J Immunol. 2022;47(1):109-116. doi: 10.5114/ceji.2022.113830. Epub 2022 Mar 6. PMID: 35600152; PMCID: PMC9115599.Imagem: Unsplash por Jacob Spaccaven